BIOENERGIA: STARTUPS PODEM OFERECER SOLUÇÕES INTELIGENTES E PERSONALIZADAS

Gostou? compartilhe!

BIOENERGIA: STARTUPS PODEM OFERECER SOLUÇÕES INTELIGENTES E PERSONALIZADAS

Num momento em que o alcance da tecnologia surpreende a cada dia, inovar nos negócios é imprescindível. Atualmente, as startups têm assumido um papel importante na economia global, oferecendo oportunidades para novos empreendedores, grandes ou pequenos. Essa alternativa já alcançou seu espaço no agronegócio e pode renovar o setor sucroalcooleiro, pois, se as inovações forem aplicadas, podem ser um caminho para alcançar ganhos em produtividade e reduções nos custos operacionais.

"O conhecimento migrou das grandes corporações para pequenos núcleos de inteligência com competência para, próximos do cliente, encontrar soluções personalizadas", afirma o diretor agroindustrial da Usina São João, Humberto Carrara sobre o crescimento das startups no setor.

Para o gestor, na área automotiva, uma startup pode interferir de maneira prática e eficiente no controle dos ativos de motomecanização, principalmente na gestão operacional, onde através de sua experiência, ele enxerga que há muito ganhos a serem capturados. Com isso, é necessário discutir como e onde aumentar a eficiência de tais ativos.

"Por muito tempo profissionais ligados a áreas de operações de usinas, questionaram a adequação dos equipamentos para uma melhor performance. Muito se debateu e se criticou este ou aquele fabricante para que melhorassem seus projetos; muito se `inventou´ e se adequou nas oficinas das empresas", explicou Humberto.

Por isso, segundo ele, os profissionais precisam saber qual o saldo positivo destas inovações, ou seja, quanto é atribuído em ganhos. "Quando percebemos, por exemplo, que de uma colhedora de cana, talvez o equipamento de maior custo de aquisição e de operação na cadeia agrícola, só conseguimos operar efetivamente 43% do tempo total disponível, nos vem a pergunta: será que preciso melhorar o equipamento ou os sistemas de gestão do processo?", indaga Humberto.

Fonte: Agência Udop, escrita por Camila Lemos



Gostou? compartilhe!