Rua José Soares da Silva, 77 - Sertãozinho-SP 16 3945-4311

Item adicionado ao orçamento


GOVERNO VAI CONTESTAR NA OMC DECISÃO DOS EUA DE SOBRETAXAR AÇO BRASILEIRO

Gostou? compartilhe!

GOVERNO VAI CONTESTAR NA OMC DECISÃO DOS EUA DE SOBRETAXAR AÇO BRASILEIRO

O secretário executivo do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Fernando Furlan, informou hoje (25), em evento no Rio de Janeiro, que o governo brasileiro vai contestar, na Organização Mundial do Comércio (OMC), a decisão dos Estados Unidos de sobretaxar produtos siderúrgicos brasileiros. Os EUA acusam o Brasil de dar subsídios à fabricação de aços laminados. Furlan garantiu que o governo brasileiro não dá vantagem indevida às companhias nacionais e que tentará reverter a situação o mais rápido possível.

“Eles [governo norte-americano] tomaram medidas compensatórias, uma sobretaxa ao imposto de importação, então, para cada tonelada do produto de aço brasileiro, além da taxa normal, é colocado uma sobretaxa no desembaraço aduaneiro”, disse Furlan. “O Brasil é um grande exportador de aço lá. Não é a primeira vez que os Estados Unidos toma esse tipo de iniciativa e isso nos preocupa bastante”.

Furlan explicou que primeiro haverá uma consulta bilateral entre o Brasil e os Estados Unidos, na tentativa de chegar a um acordo e evitar a "judicialização" no sistema de solução de controvérsias na OMC. A abertura da consulta foi autorizada na última reunião da Câmara de Comércio Exterior (Camex), em setembro, e o Itamaraty concluiu material para solicitar a consulta a OMC. As reuniões bilaterais devem ocorrer no início do ano que vem.

Caso não haja acordo, será feito então pedido de painel de especialistas para a decisão final, que pode demorar mais um ano. Sem o acordo, a contenda pode levar cerca de um ano e meio. Se o Brasil ganhar a disputa, os americanos deverão dar uma compensação dos prejuízos causados ao setor.

Dentre os mecanismos que os Estados Unidos consideram mecanismos de apoio à indústria estão o linha Finame do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), entre outros. Furlan participou do Congresso Latinoamericano de Aço (Alacero), no Rio de Janeiro. Ele representou o ministério mesmo já estando exonerado, como publicado hoje no Diário Oficial da União.

Fonte: Agência Brasil, escrito por Flávia Villela (edição de Fábio Massalli)



Gostou? compartilhe!